UNAMA | Ser Educacional Unama
24 Outubro
Belém
Alunos apresentam atividade no hall de entrada da instituição
Por Marcella Kelly

Na ocasião, os alunos deram orientações sobre os medicamentos selecionados destacando quais as principais utilizações

24 Outubro
Belém
Curso de Nutrição lança edital para grupo de estudos
Por Ivie Reis

O processo seletivo constará de análise de rendimento escolar, carta de apresentação, prova escrita e entrevista

02 Maio
Belém
Confira homologação dos aprovados na 1ª etapa de seleção para o Projeto e Atividades Integradas em Pesquisa
Por Dirceu Costa

A coordenação dos Cursos de Biomedicina e Radiologia da Universidade da Amazônia, divulga o edital de homologação dos aprovados na primeira etapa do processo seletivo para o Projeto de Atividades Integradas em Pesquisa. A segunda etapa que contará de prova objetiva será no dia 14/05/2018 às 16:00 h no bloco C, sala C203. Os candidatos deverão apresentar documento de identidade original, com foto. Confira informações completas no edital.

Anexo: 
20 Abril
Belém
Alunos desenvolvem pesquisa sobre descarte domiciliar de medicamentos em Belém
Por Marcella Kelly

Os acadêmicos do curso de Farmácia do campus Alcindo Cacela que compõem o Grupo de Iniciação Científica, estão desenvolvendo uma pesquisa online sobre Descarte Domiciliar de Medicamentos. O projeto tem como objetivo analisar como o descarte domiciliar de medicamentos é realizado pela população na região metropolitana de Belém/PA.

O link do formulário eletrônico está sendo compartilhado nas redes sociais para o devido preenchimento, que é simples e rápido. Se você é morador de Belém e região metropolitana basta clicar no link para participar da pesquisa. Não precisa de nenhum cadastro, apenas responder as pergunta postadas no formulário eletrônico.

O link funciona em celulares, tablet ou computador e são só alguns segundos para participar.

Já respondeu??!! Agora compartilha para que seus amigos também possam participar. O Grupo de Iniciação Científica agradece.

 

SAIBA MAIS SOBRE OS IMPACTOS DO DESCARTE INCORRETO.

O descarte de medicamentos, apesar de ser um tema extremamente importante, ainda é, infelizmente, desconhecido pela maioria da sociedade, que não imagina a gravidade que esses resíduos químicos podem trazer ao meio ambiente. Por conter substâncias que comprometem o ecossistema, os fármacos devem ser incinerados e não jogados no lixo comum, rios ou esgotos, para que não comprometa o solo e os lençóis freáticos. Essa responsabilidade, segundo a RDC nº 306/2004 da ANVISA, cabe aos estabelecimentos de saúde que manejam tais produtos. Recentemente, a lei municipal Nº 9.268 sancionada em 13 de Janeiro de 2017, impõe que estabelecimentos de saúde disponibilizem recipientes adequados para o descarte de medicamentos vencidos ou em desuso. No Artigo 5º, da referida lei, fica proibido que o destino de tais medicamentos, especificamente domiciliares, seja descartado em locais como: corpos d’água; céu aberto; terrenos baldios; poços; esgoto, dentre outros. Entretanto essa lei é desconhecida por grande parte da população, devido à falta de divulgação por parte do Ministério Público e estabelecimentos de saúde.

Graças à facilidade de acesso aos medicamentos por parte da população, e à cultura da automedicação, o lixo farmacêutico tornou-se um problema gravíssimo, capaz de afetar excessiva e negativamente o ecossistema e, muitas pessoas, acreditam não ser responsáveis pela realização da prática correta de descarte.

O despejo inadequado de medicamentos em resíduos domiciliares pode gerar diversos distúrbios no ecossistema, principalmente se tais resíduos forem descartados em locais onde o destino final sejam os lixões a céu aberto, pois dessa maneira os impactos atingem diretamente pessoas que trabalham ou residem próximo ao local do despejo como, por exemplo, os catadores que retiram seu sustento dos produtos presentes nos lixões. Em Belém é muito comum que o lixo domiciliar seja depositado em sacolas plásticas, que muitas vezes ficam expostas nas ruas da cidade até a coleta, formando monturos capazes de atrair insetos e roedores, expondo assim diversos malefícios para a saúde de qualquer pessoa que entre e contato com tais resíduos.

Medicamentos que estiverem presentes em corpos d’água são capazes de causar danos não apenas às espécies marinhas, mas também a diversas espécies que interagem com a mesma. Outros animais como mamíferos, répteis e aves também estão relacionados com problemas vinculados ao descarte de medicamentos em corpos d’água, que incluem a diminuição da eclosão de ovos, problemas em sistemas reprodutivos e alterações imunológicas (Billa & Dezotti, 2017; Aquino, Brandt & Chernicharo, 2013).

Além de perturbações hormonais, há também uma preocupação elevada com relação à resistência bacteriana relacionada ao descarte de antibióticos em águas residuais, aumentando a possibilidade de que bactérias presentes em ecossistemas aquáticos possam adquirir maior resistência e, até mesmo, abrigar patógenos que confiram riscos à saúde (Da Silva, 2015; Medeiros, Moreira & Lopes, 2014). De acordo com estudos realizados, encontram-se em ambientes aquáticos os seguintes fármacos: anti-inflamatórios não esteroidais (AINES) (16%), antibióticos (15%), reguladores lipídicos (12%) e hormônios  sintéticos (9%) (Aquino, Brandt & Chernicharo, 2013).

Portanto, fica absolutamente claro que os problemas socioambientais, oriundos do descarte inadequado de fármacos no ecossistema, só poderão ser resolvidos mediante ações diversas, capazes de mobilizar a sociedade em geral sobre a urgente importância de realizar o descarte consciente de medicamentos, pois, dessa maneira, estaremos protegendo não apenas nossa saúde, como também a saúde de todo o meio ambiente.

 

19 Abril
Belém
Semente do açaí como concreto permeável é objeto de pesquisas no Pará
Por Mariana Von

Os professores da Universidade da Amazônia (UNAMA) Mike da Silva Pereira e Emerson Cardoso Rodrigues estão desenvolvendo pesquisas junto a uma equipe de quatro alunos sobre “Concreto permeável feito com semente de açaí”, a qual poderá evitar os alagamentos recorrentes na capital paraense. Os resultados já estão sendo publicados, inclusive fora do país.

O engenheiro civil Mike da Silva Pereira explica que o concreto permeável já existe no mercado, porém, o projeto em andamento substitui o seixo pelo caroço de açaí. “O trabalho propõe a utilização do material in natura, sem custo de beneficiamento. Evitamos com que o caroço de açaí seja depositado como lixo urbano, é uma tentativa sustentável de empregar um elemento tão comum na nossa culinária, no ramo da engenharia. O caroço de açaí adicionado ao concreto torna a impermeabilidade muito maior, o que pode evitar os nossos tão conhecidos alagamentos”, explica o professor.  

 

Confira a matéria completa.

Parabéns a todos os Alunos e professores envolvidos. Isso engrandece a todos nos que fazemos parte da UNIVERSIDADE DA AMAZÔNIA. Que venham maiores resultados.

22 Março
Belém
Identificação humana por análise de DNA
Por Dirceu Costa

 

Muitos acadêmicos de Biomedicina sonham em trabalhar com análises genéticas. Sabe-se que indivíduos da mesma espécie, seja esta elefantes africanos, milho ou seres humanos, têm o DNA praticamente idêntico. Mas a sequência do DNA em certos locais, conhecidas como LOCI, varia nos genomas individuais. Esta variação pode ser utilizada para distinguir um indivíduo de outro da mesma espécie. O processo de análise destas variações com o propósito de identificar indivíduos é conhecido como PERFIL DE DNA ou FINGERPRINTING GENÉTICO (impressão genética). A impressão genética faz uso de sequências repetitivas altamente variáveis, chamadas STRs (short tandem repeats). Estes loci são altamente similares entre humanos muito relacionados, mas variáveis o suficiente para que seja extremamente pouco comum que humanos não aparentados tenham os mesmos alelos.

As técnicas de identificação humana por DNA vêm sendo utilizada com diversos objetivos, incluindo as ciências forenses (comparar o DNA encontrado em cenas de crime contra o de suspeitos, ou identificações de vítimas de catástrofes), testes de paternidade, investigações históricas, elucidação de desaparecimentos e ainda na criação de bancos de dados de criminosos sexuais. 

Aprofunde suas pesquisa e fique por dentro.

 

22 Dezembro
Belém
Enfermeira desenvolve método mais seguro para uso de sonda de alimentação enteral
Por Renata Glaucia

Este mês tivemos a feliz notícia de uma importante premiação na pesquisa para uma Enfermeira que desenvolveu em sua tese uma revulucionária e importante pesquisa para a ciencia do cuidar. A passagem de sonda nasogátrica (SNG) para a alimentação enteral é uma prática cotidiana dos enfermeiros, que como qualquer procedimento exige conhecimento técnico cientifico pois é um procedimento que oferece riscos ao paciente, riscos graves de complicações e até morte.

A enfermeira Sandra Cristina de Oliveira Santos, desenvolveu mestrado e doutorado como aluna do programa de pós-graduação da unidade, desenvolveu um pesquisa sobre as técnicas empregadas neste procedimento. A pesquisa realizada na Unicamp se propôs a validar um método seguro que possibilite determinar com segurança o comprimento da sonda nasogástrica (SNG) a ser introduzia para alimentação de adultos. O objetivo foi o de encontrar uma metodologia que possibilite maiores acertos de localização do instrumento no corpo gástrico, ofereça ao paciente assistência mais segura e com menores riscos de eventos adversos.

A importância e o impacto do estudo para a saúde e segurança do paciente garantiu um importante prêmio para a Enfermeira.  O ineditismo do caráter experimental e a metodologia empregada foram determinantes para que o trabalho recebesse o Premio Capes de Tese, de 2017, na área de enfermagem, o primeiro atribuído à FEnf ( Carmo Netto, 2018).

A pesquisa

O grupo multidisciplinar  constituído ainda pelas enfermeiras Eliete Boaventura Bargas Zeferino e Margareta Maria Wopereis Groot,  do HC, do professor Sandro Guedes de Oliveira,  do Instituto de Física (IFGW), e por  Henrique Ceretta Oliveira, estatístico da FEnf, realizou um ensaio clínico randomizado para a avalição de três métodos de medidas externas para determinar o comprimento da SNG, com o objetivo de verificar qual deles seria efetivamente o mais seguro para o paciente.

Para tanto, foi adotada como medida controle o método NEX que, para determinar o comprimento da SNG leva em conta a distância da ponta do nariz ao lóbulo da orelha e deste até o apêndice xifóide. Trata-se do método mais divulgado, utilizado e considerado adequado entre os profissionais de saúde. Foram, então, comparados com ele outros dois métodos experimentais, que vinham sendo considerados dentro da linha de pesquisa mantida há 23 anos pela professora Maria Isabel e estudados por Sandra durante o mestrado e doutorado: o método EXU, que leva em conta a distância do lóbulo da orelha ao apêndice xifóide e deste, ao ponto médio da cicatriz umbilical; e o método NEX + XU, que considera a distância  da ponta do nariz ao lóbulo da orelha e deste até o apêndice xifóide mais a distância do apêndice xifóide até o ponto médio da cicatriz umbilical.

Após realização de estudo-piloto e cálculo amostral, verificou-se estatisticamente que cada um dos três métodos deveria ser aplicado aleatoriamente em grupos de 80 pacientes, totalizando 240, separados de forma randomizada/aleatória e duplo cego - pacientes e médico radiologista desconheciam o método a ser avaliado, ficando a cargo de um único profissional a leitura de todas as radiologias.

Os resultados mostraram que os métodos EXU e NEX + XU apresentam melhores resultados em relação ao método NEX, pois as sondas introduzidas localizam-se em regiões que reduzem a possibilidade de aspiração dos nutrientes.

Os pesquisadores concluíram que a metodologia adotada no delineamento do trabalho mostrou com muita clareza e precisão que o método NEX, preconizado na literatura e ensinado nas escolas de enfermagem, aumenta o risco de aspiração de nutrientes pelo paciente que recebe alimentação por sonda colocada em estômago, o que o torna inseguro.  A metodologia adotada na pesquisa é a primeira de caráter experimental, com resultados efetivamente conclusivos e o grupo de pesquisa espera que os dois métodos que se evidenciaram mais adequados sejam amplamente divulgados e adotados na prática clínica para maior segurança dos pacientes.

O próximo estudo a ser realizado pela equipe vai propor um modelo, com dados coletados durante o trabalho, relacionando as características anatômicas do paciente adulto com os dois métodos propostos.

 

Fonte